A Árvore, de Paul Valéry

Este slideshow necessita de JavaScript.

“A Árvore”, texto adaptado de Paul Valéry foi um experimento cênico/dança, que ocorreu no Teatro Zero Hora em 2014. A proposta ocorreu com 3 pessoas, onde mantinha-se diálogo entre dois personagens do texto adaptado, que ficavam escondidos, apenas trabalhando na sonoridade do diálogo. Enquanto isso, ocorria uma projeção com a bailarina de frente ao público, que improvisou movimentos de acordo com o diálogo.

Anúncios

Revolutione

Este slideshow necessita de JavaScript.

A performance realiza pixações em paredes, onde a vestimenta é um vestido vermelho semelhante a um vestido de dançarina de tango. A pixação escrita é a palavra “Revolutione”, que é pixada várias vezes sobre a outra, deixando a palavra visualmente abstrata. O ato ocorre com duração de uma música tradicional de tango. Como pesquisa, foram estudados as tipografias de pixações na cidade de São Paulo a fim de recriar um novo tipo de pixação, analisando a cultura do tango. As duas culturas (pixo e tango) são abordados de acordo com a questão do anonimato e as relações com posturas sociais e políticas.

A Performance ocorreu no Festival Baixo Centro de 2013.

Posicionamentos

Este slideshow necessita de JavaScript.

O projeto a seguir é a série de Fotoperformances intitulada de Posicionamentos. As 4 imagens da série trabalham a relação entre posição física e pesos físicos e psíquicos, consequentes do posicionamento criado. O trabalho foi criado através de posições espontâneas, uma seguida da outra, sem uma ordem revelada. O uso da fotografia como ferramenta é justamente o uso do registro estático e momentâneo, onde o posicionamento é único, criando gestos diferenciados de uma mesma pessoa em curto tempo.

Ocupação Cênica “Sou o Vento” – de Jon Fosse

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sinopse

Duas pessoas sozinhas em alto mar. Um e Outro apenas na imensidão azul e brava. O vento pode soprar contra ou a favor da vida. O experimento cênico explora o lúdico e o mistério, buscando exprimir um ambiente onde tudo pode ser criado e imaginado. Texto: Jon Fosse. Direção: José Sampaio e Tiago Leal.

O projeto ocorreu no espaço da Cia de Teatro Os Satyros no ano de 2013.